Hélice contínua x Strauss

Hélice contínua x strauss 

Hélice contínua x strauss : Apresenta a avaliação da viabilidade do uso de Estacas Hélice Contínua Segmentada nas fundações de Construção Civil

Comparativo de capacidade carga estrutural admissível entre os tipos de estacas

Estacas diam.
Strauss 0,32 30 tf.
Escavada 0,30 30 tf.
Hélice 0,30 45 tf.

Isto acontece em função do concreto usado nas estacas strauss e escavadas, que é o concreto de 15 mpa. Segundo a NBR 6122/96, e na hélice contínua é usado o concreto 20 mpa.

Aplicação de alfa e beta para os tipos de estacas

 

Estacas alfa beta
Strauss 0,60 0,65
Escavada 0,60 0,65
Hélice 0,30 1,00

 

Comparativo de aproveitamento de remitência do solo

 

Estacas f-1 f-2
Strauss 1,75 4,50
Escavada 7,00
Hélice 1,75 3,50

Do resultado obtido através dos dados da sondagem. A capacidade de carga obtida é divida pelo coeficiente acima de acordo com o tipo de estaca . A estaca hélice consegue um aproveitamento maior no f-2, pois a concretagem é feita sob pressão através da bomba de concreto.

Conclusão

Usando-se as aplicações acima chegamos a seguinte conclusão de capacidade carga:

Estacas coef.
Strauss 0,60
Escavada 0,37
Hélice 1,00

 

Ou seja, em uma determinada profundidade que a hélice contínua de 30Ø suporte 45tf. a strauss suportaria 26,8tf. e a escavada 16,7tf.

Observando-se:

1 – tanto a admissão de carga é maior para Estaca Hélice, do que 1 estaca de uma mesma seção dos outros tipos referido;

2 – como também o aproveitamento da taxa de resistência do solo é maior.

Desta forma onde se usa um bloco de 3 estacas strauss de 32 cm. Pode-se usar um bloco de 2 estacas Hélice 30 cm. Dependendo do tipo de solo a profundidade da estaca hélice poderá ser menor do que a da strauss. Gerando assim no mínimo uma economia 50%.

Por tudo isto conclui-se que mesmo a principio, a estaca Hélice tenha custo maior, somado os benefícios: capacidade maior, profundidade menor e rapidez de execução tornam-se mais viável financeiramente e com melhor qualidade.

A NBR6122/96, no item 7.8.6.4,.

Trata da fixação da carga máxima estrutural admissível, onde fck não poderá ser superior a 20MPa e adotando um fator de redução de resistência c=1,8. A carga máxima que a estaca poderá resistir, visto que corresponde à resistência estrutural do material, será:

Carga admissível para os diâmetros

Diâmetro cm. 0,275 0,30 0,35 0,40 0,42 0,50 0,60 0,70 0,80 0,90 100
KN. 350 450 600 800 900 1300 1600 2400 3200 4000 5000
Tf. 35 45 60 80 90 130 160 240 320 400 500

A carga admissível estrutural indicada é a máxima carga que a estaca poderá resistir, visto que corresponde a resistência estrutural do material da mesma. 

Entretanto há necessidade de dotar a estaca de um procedimento tal para que essa carga possa ser atingida sob o ponto de vista do contato, da estaca e solo. Esse procedimento constitui o que se denomina “previsão de capacidade de carga”.

A capacidade de carga das estacas é dada pela soma das parcelas de atrito lateral e de ponta, que dependem do tipo de terreno e do comprimento da estaca.